Blog post

Conheça 4 raças de boi de rodeio sucesso nas arenas

4.9 (97.12%) 104 votes

Os bichos mais brutos dos rodeios são fruto do cruzamento entre as raças; veja os maiores campeões de cada uma delas

Oito segundos no lombo do touro podem fazer um peão qualquer virar uma estrela do rodeio. Mas, para chegar até lá, os cabras treinam muito e, claro, os bois também. Para um boi de rodeio pular do jeito que pula e derrubar o sujeito, ele também é preparado, isso até antes de nascer. O pessoal que cria os bichos faz misturas de raças, para conseguir criar os touros mais brutos das arenas!

Mas, na verdade, a raça do animal não importa muito, o importante é que ele seja raivoso, brabo mesmo. Tem touro “vira-lata” que é mais temido que o coisa ruim e bota medo na peãozada toda. Só que tem algumas raças misturadas que são sucesso em todos os rodeios. Quer saber quais são? Presta atenção aqui!

Nelore

Esse é doido! Uma coisa que o boi nelore tem e que faz com que seja difícil ficar montado no bicho, é que ele é rápido, leve e do osso fino. Então, esse trem pula que é uma beleza. É muito comum que seja cruzado com outras raças, como Simental e Charolês. Uma cria desse bicho que deu certo foi o touro “Sistema”, filho de uma vaca Nelore com um boi Simental, destaque dos rodeios em 2017. Aqui o “Sistema” é bruto, rapaz!

Simental

Muito usado para dar leite e carne, o bicho veio lá da Suíça e se deu muito bem aqui no Brasil. É puro músculo, o Simental não acumula gordura, o animal é musculoso mesmo. E por ser bem resistente, aguenta o tranco das viagens e dá certinho no rodeio! Cruzando com outras raças, se o bicho levar leito, vira um touro de pulo top. E adivinha qual touro era mistura de Simental com Nelore? A lenda. O inesquecível. O terrível. O touro “Bandido”. Esse não tem como superar, fez até novela. O boi mais famoso do rodeio brasileiro, que morreu em 2009, mas que até hoje não tem um peão que não se lembre do mito.

Marchigiana

Outra raça que todo mundo conhece nas arenas é a Marchigiana. Os bois marchigianos são fortes, poderosos, porém engordam rapidinho, e isso pode não ser muito bom para as competições com a peãozada nos rodeios. Mas também é grande e pesado, então não é tão fácil assim domar o bicho! Um touro marchigiano bruto, que era (era, porque morreu atingido por um raio, o coitado) muito famoso no Paraná, foi o Pit Bull.

Charolês

E para completar a lista, escolhemos o charolês. Esse boi é alto, comprido e tem a pelagem bem clarinha, é fácil de reconhecer o bicho. Assim como o Simental, veio lá da Europa. O cruzamento do charolês com o nelore, por exemplo, acaba formando um touro rápido, bem musculoso e grande. E, fechando com chave de ouro, um campeão que vai deixar muitas saudades: o touro “Agressivo”. Ele morreu em julho deste ano, mas, enquanto competiu, só dois peões conseguiram dominar o bicho. O bicho era bruto mesmo e ganhou 13 fivelas de melhor touro da Professional Bull Riders (PBR)! Tava ali, pau a pau com o “Bandido”, e fará parte da história do rodeio brasileiro para sempre.

Essas são só algumas raças, as mais usadas para formar touros de pulo aqui no Brasil. Se ele vai ser bruto mesmo e fazer sucesso nas arenas, isso é o tempo que vai dizer, depende de como o bicho é criado, se tem contato com gente, enfim… Um monte de coisas. Enquanto isso, cruzando um com outro, a ideia é fazer uma raça brasileira só de boi de rodeio, igual tem nos Estados Unidos. E no mundo country, cada vez mais eles são a atração das festas de peão e o povo torce mais pelo animal que pelo cowboy, não é não?

 

E você, peão? Conhece alguma raça de boi de rodeio que ficou faltando aqui? Conta para a gente aqui nos comentários.

Leia mais: Conheça as principais modalidades dos rodeios

Comente aqui!

Post anterior Próximo post