Blog post

Segurança dos animais nos rodeios: saiba mais

4.5 (90%) 2 votes

Entenda como os animais que participam das competições são tratados e conheça a Lei que regulamenta os rodeios

Pula boi, pula cavalo, pula cavalo e boi! Aooow, que o peão de rodeio, todo mundo sabe, tem que conseguir domar o bicho e ficar os tão sonhados 8 segundos em cima dele. Rodeio é uma coisa que todo mundo que é ligado ao mundo country gosta de acompanhar. Porém, a questão de como os animais são tratados nos eventos está sempre em debate e muitos mitos envolvem o tema. Entenda como é feita a segurança dos animais nos rodeios e confira algumas verdades e mentiras sobre o assunto.

Lei dos Rodeios

O rodeio no Brasil é regulamentado pela Lei nº 10.519, de 2002, a Lei dos Rodeios. Esta lei trata sobre a promoção e a fiscalização da defesa da saúde dos animais durante os rodeios. Foi criada com a intenção de fazer com que os animais que participam da competição não sejam vítimas de maus tratos por parte das companhias e dos peões.

Durante os eventos, há fiscalização no tratamento que os animais recebem, desde o transporte, infraestrutura no local dos rodeios e nas arenas, atendimento médico com veterinários habilitados e, inclusive, em relação ao equipamento utilizado nas montarias.

Equipamentos permitidos

Os equipamentos que os peões usam para montar estão especificados na lei e precisam estar de acordo com o que a legislação estabelece. Só é permitido:

  • Esporas que não sejam de ponta arredondada;
  • Cintas, cilhas e as barrigueiras confeccionadas em lã natural, que garantam o conforto dos animais nos rodeios;
  • Nas provas de laço, cordas que tenham redutor de impacto para o animal.

Como os animais são tratados

O rodeio é considerado um esporte, então, os bois e cavalos que participam das provas são tratados como verdadeiros atletas. A alimentação é balanceada e eles são treinados para obterem o melhor desempenho nas montarias. Porém, o treinamento é feito sempre respeitando os limites do animal.

Os bois são alimentados com silagem de milho, ração e outro concentrado, também a base de milho e aveia, para ajudar na pelagem e ainda suplementos. Tudo isso porque, devido à vida esportiva, eles necessitam de um nível maior de energia que um boi comum.
Os animais podem ficar estressados, por isso, precisam de espaço, para que cada touro consiga se locomover pelo pasto e chegar à comida com facilidade. Nos períodos em que ocorrem a maioria dos rodeios, os animais descansam durante a semana, para competirem apenas aos sábados e domingos.

Entre as informações equivocadas a respeito da segurança dos animais nos rodeios, está o uso de choques elétricos, para fazer com que os bois e cavalos pulem. O que indica aos bichos o momento de pular é o sedém, uma espécie de corda, que fica amarrada na área ao redor do abdômen do animal, e é feito de lã, para não causar ferimentos.

Então, a segurança dos animais é sempre uma preocupação de quem organiza os rodeios, das companhias que treinam os animais e, claro, dos peões. O touro ou o cavalo são tão importantes quanto o cowboy que monta o bicho, por isso, devem ser muito respeitados e bem tratados na arena e fora dela também!

E você? Gosta de rodeio e não sabia sobre o assunto? Conta pra gente aí nos comentários o que achou do tratamento que a bicharada recebe nos rodeios!

Leia mais: Conheça as maiores peoas do brasil na modalidade três tambores

Comente aqui!

Post anterior Próximo post