Blog post

Saiba tudo sobre o berrante

5 (100%) 1 vote

Conheça a história do instrumento que é símbolo da cultura sertaneja

O som do berrante é único. É só ouvir o berranteiro tocar, que a gente já reconhece o barulho. Feito com o chifre do boi, o instrumento foi criado pelos tropeiros, há mais de 300 anos, e é usado para  chamar a boiada. Nas comitivas de boiadeiros, o berrante sempre está presente e já virou um símbolo da cultura sertaneja no Brasil. E é claro que na música sertaneja ele também é sucesso! “Toca o berrante, seu moço, que é pra eu ficar ouvindo”, pedia o “Menino da Porteira”, quem lembra? Então, agora chegou a hora de saber tudo sobre o instrumento!

A história

Na época dos tropeiros, quando o Brasil era colônia de Portugal, lá pelos anos de 1700, as comitivas atravessavam o país para levar o gado de uma região para outra. Saíam, geralmente, do sul e iam levando a boiada até o interior de São Paulo, Minas Gerais e a região do Mato Grosso, passando pelo Paraná.

Durante as viagens, que duravam meses, os tropeiros usavam o berrante para conseguir domar a bicharada, que precisava atravessar rios, subir montanhas e por aí vai… Para isso, passaram a usar os berrantes, tanto para “conversar” com os animais e até para se comunicar entre si, já que o som forte do instrumento ecoava longe e as viagens podiam ser um pouco solitárias.

Como é feito

O berrante nada mais é que uma espécie de buzina que os peões usam para conduzir o rebanho. Como já foi falado, é feito do chifre do boi. Para fazer um berrante, são usados mais ou menos cinco chifres, que são emendados um ao outro, dando o formato curvado do berrante.

Na hora da montagem, as emendas têm que ser perfeitas, para não deixar o ar vazar e estragar o som. Quando isso acontece, o berrante vira enfeite, porque não tem berranteiro que consiga tocar.

Tipos de toque

Com o toque do berrante, os animais acompanham os comandos do boiadeiro. E tem vários sons diferentes, que, na lida, significam cada um uma coisa. A boiada, então, obedece conforme o que escuta.

  • O toque de solta ou saída é o que desperta o rebanho de manhã. Enquanto o capataz conta a boiada,  o berranteiro faz o toque, que é contínuo e calmo.
  • O estradão é tocado quando os bois estão na estrada e é para dar uma animada na bicharada, depois de um longo caminho. É um toque repicado.
  • O rebatedouro é para alertar que tem perigo por perto ou para chamar um peão que está no meio da boiada para vir junto com o ponteiro, pedindo reforço para evitar que a boiada se separe.
  • A queima do alho é um dos toques mais conhecidos e esperados também! Avisa os boiadeiros que é hora do rango.
  • Por último, tem o floreio, que é para distrair a comitiva, pode ser uma moda, tanto faz, daí o berranteiro tem que usar é o talento mesmo!

Pois é, o berrante é tão importante para cultura sertaneja que, desde a primeira edição da Festa do Peão de Barretos, tem concurso para homenagear os melhores berranteiros do país, além de manter viva essa tradição sertaneja.

E você, sabe fazer algum toque no berrante? Conta para a gente aí nos comentários!

Leia mais: Chimarrão: bebida para esquentar o frio

Comente aqui!

Post anterior Próximo post